AERONAVES da FAB serão empregadas no combate ao desmatamento

Fonte: FAB//

Assim como a parceria entre o Ministério da Saúde e a Força Aérea Brasileira para utilização de aeronaves no transporte de órgãos, será firmado um acordo com o Ministério do Meio Ambiente para atuação da Força no controle do desmatamento. Os detalhes do documento, que está em fase de apreciação jurídica, foram debatidos na última quinta-feira (11) durante um encontro entre o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, e o Ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho.

.: Leia também: OPERAÇÃO vai reunir Forças Aéreas de Brasil, Colômbia e Equador pela primeira vez

desmatamentoA parceria será em duas frentes. Em curto prazo, será assinado um Termo de Execução Descentralizada (TED), pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), para utilização de aeronaves da FAB em ações de fiscalização e emergências ambientais, além do transporte de agentes. Esse acordo deverá ser assinado no mês de junho. Em médio prazo, com previsão para início em meados de agosto, o Ministério também deverá utilizar imagens dos satélites de órbita baixa, que estão sendo licitadas pela FAB, para controle de infrações contra o meio ambiente. O Major-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior explicou que, atualmente, mais de um órgão brasileiro compra a mesma imagem, e a centralização que está sendo encabeçada pela FAB trará economia e eficiência para o País.

Segundo o ministro José Sarney Filho, o desmatamento vem aumentando nos últimos dois anos. “Hoje, temos apenas relatórios anuais para acompanhar o desmatamento. Com as novas opções de imageamento, poderemos ter acesso a dados semanais e mensais. Também podemos colocar esses dados em tempo real, online, para que outros órgãos, como universidades, consigam fazer suas próprias análises. É o controle social do desmatamento”, afirma o ministro.

O Tenente-Brigadeiro Rossato explicou que o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), lançado no último dia 4, é apenas o início de uma nova era espacial, que irá impactar positivamente na coleta de informações para diversos órgãos. “Criamos uma estrutura para controlar esse satélite, o Centro de Operações Espaciais, que servirá para atender a todos os outros que teremos no futuro”, disse. Assim que o TED for assinado, a previsão é de que a primeira ação seja nas vizinhanças do Campo de Provas Brigadeiro Velloso, na Serra do Cachimbo, no Pará. Um estudo identificou que 20% do desmatamento da Floresta Amazônica está em um raio de 200 km desta organização da Força Aérea.

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

Leave A Reply