AVIAÇÃO DE CAÇA: aniversário em um momento de incerteza

Proteger os céus do Brasil da ameaça de ataques aéreos é a principal missão da aviação de caça que hoje comemora 74 anos de sua fundação. Essa é uma missão concreta: defender o território nacional. No entanto, a nossa aviação teve como sua primeira missão defender os ideais de democracia, liberdade, no território longínquo do cenário de operações da Itália na Segunda Guerra Mundial.

A aviação de caça no Brasil foi formada a partir de pilotos militares do Exército que foram treinados para suas missões de guerra nos Estados Unidos, e formaram o 1º Grupo de Aviação de Caça (1º GAvCA) e apela 1ª Esquadrilha de Ligação e Observação (1ª ELO). Esse grupo foi responsável por missões que redundaram em apoio para as forças terrestres, em destruição de alvos inimigos e observação aérea facilitando o planejamento das ações do Exército.

Hoje, a nossa aviação de caça vive dias difíceis. As dificuldades econômicas brasileiras impediram a Força Aérea Brasileira de se reequipar a contento e atualmente vivemos na expectativa da entrada em ação dos aviões Gripen.  Enquanto eles não chegam, nossos pilotos voam equipamentos de combate obsoletos e em número pequeno para as necessidades de defesa do país.

A chegada dos primeiros 36 caças Gripen irá mitigar esse problema proporcionando aos pilotos brasileiros a oportunidade de treinarem e se aprimorarem em um equipamento correto para as possibilidades do país. No entanto, ainda não é possível vislumbrar o dia em que a FAB poderá voar aviões de primeiro nível, aviões capazes de estabelecer a supremacia aérea tão importante para uma nação com as nossas riquezas e extensão territorial.

Nesse dia de aniversário da nossa aviação de caça publicamos um resumo de sua atuação na  segunda  grande guerra.

  • 4.442 BOMBAS LANÇADAS (1.010 TONELADAS)
  •  1.180.200 CARTUCHOS DE MUNIÇÃO DISPARADOS
  • 850 FOGUETES LANÇADOS
  • 25 PONTES DESTRUÍDAS
  • 51 PONTES DANIFICADAS
  • 03 REFINARIAS DE GASOLINA DESTRUÍDAS
  • 02 REFINARIAS DE GASOLINA DANIFICADAS
  • 31 DEPÓSITOS DE COMBUSTÍVEL E MUNIÇÃO DESTRUÍDOS
  • 15 DEPÓSITOS DE COMBUSTÍVEL E MUNIÇÃO DANIFICADOS
  • 19 EMBARCAÇÕES PEQUENAS DESTRUÍDAS
  • 149 EDIFÍCIOS OCUPADOS DESTRUÍDOS
  • 104 EDIFÍCIOS OCUPADOS DANIFICADOS
  • 148 INSTALAÇÕES EM GERAL DESTRUÍDAS
  • 70 INSTALAÇÕES EM GERAL DANIFICADAS
  • 85 POSIÇÕES DE CANHÃO DESTRUÍDAS
  • 15 POSIÇÕES DE CANHÃO DANIFICADAS
  •  412 CORTES EM ESTRADAS DE FERRO
  •  13 LOCOMOTIVAS DESTRUÍDAS
  • 92 LOCOMOTIVAS DANIFICADAS
  • 250 CARROS DE ESTRADA DE FERRO DESTRUÍDOS
  • 835 CARROS DE ESTRADA DE FERRO DANIFICADOS
  • 02 AVIÕES DESTRUÍDOS NO SOLO
  • 09 AVIÕES DANIFICADOS NO SOLO
  • 08 VEÍCULOS BLINDADOS DESTRUÍDOS
  • 13 VEÍCULOS BLINDADOS DANIFICADOS
  • 1.034 VEÍCULOS AUTOMÓVEIS DESTRUÍDOS
  • 686 VEÍCULOS AUTOMÓVEIS DANIFICADOS
  • 79 VEÍCULOS DE TRAÇÃO ANIMAL DESTRUÍDOS
  • 19 VEÍCULOS DE TRAÇÃO ANIMAL DANIFICADOS
  • 01 NAVIO DANIFICADO

Todos esses objetivos foram atingidos por uma esquadrilha de apenas 47 aviões Thunderbolt P-47, sob o comando do Brigadeiro Nero Moura. A esses heróis o nosso respeito.  E aos valorosos pilotos que hoje cruzam os nossos céus defendendo a tradição de nossa Força Aérea cumprimentamos pela dedicação ao seu compromisso com o Brasil. 

José Carlos Mattos
Editor do site ID&S

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

Leave A Reply