BID: Para atrair indústria de defesa para Goiás, FIEG cria COMDEFESA do estado

Com objetivo de se tornar um polo da indústria de defesa, o estado de Goiás criou um Comitê da Indústria de Defesa e Segurança (COMDEFESA-GO). O lançamento, feito na última sexta-feira (26), na Casa da Indústria, em Goiânia, é uma iniciativa da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG) e a Associação Comercial e Industrial de Anápolis (ACIA).  A iniciativa irá apoiar na identificação de oportunidades de negócios para que empresas goianas possam atender demandas de diversos produtos e serviços relacionados às Forças Armadas e às forças de segurança. A ideia é que, no futuro, seja criado um polo que deverá contribuir para a ampliação e o fortalecimento da Base Industrial de Defesa Brasileira.

.: Leia também: BID: Fiepe cria comitê para atrair indústria da defesa

O comitê será composto por representantes de dezenas de sindicatos filiados à FIEG, representantes de entidades setoriais ligadas à cadeia produtiva do setor e instituições de ensino e pesquisa. O coronel Luis Felipe Garcia Fernandes e o capitão-de-corveta Carlos Cesar Romaskevis representaram a Secretaria de Produtos de Defesa do Ministério da Defesa.

20180130_comdefesa_go

Lançamento do Comdefesa de Goiás.

GOIÁS E PERNAMBUCO: DISPUTA PELA CARACAL
Anápolis tem sido protagonista na tentativa de criar um polo de defesa no estado do Goiás. Uma das ações tomadas neste sentido é a negociação com a fábrica de armas dos Emirados Árabes Caracal International para a abertura de uma unidade na cidade. No ano passado, foi assinado inclusive um protocolo de intenções entre o governador de Goiás, Marconi Perillo, e o CEO da Caracal International, Hamad Salem Al Ameri. No entanto, a iniciativa parece que encontrou um concorrente de peso. Com o apoio do ministro da Defesa, Raul Jungmann, Pernambuco passou a negociar com a empresa para que a abertura da unidade seja no estado. Pernambuco é o berço político de Jungmann, que trabalha com afinco para transformar o estado no primeiro polo de defesa do Nordeste. Ele inclusive lançou na última segunda-feira (29) um Comdefesa para o estado.

“O setor ainda está muito concentrado no Sul e Sudeste do País. O Ministério vem buscando tanto quebrar o monopólio em torno de poucas empresas, como também descentralizar a base para outras regiões do Pais. E esse Comitê é um importante passo para isso”, destacou o ministro, durante a solenidade na sede da Federação das Indústrias de Pernambuco (FIEPE).

20180130_comdefesa02

Lançamento do Comdefesa de Pernambuco.

A Ruag, fábrica suíça de munições, já anunciou investimento de 15 milhões de euros para implantação da unidade em Pernambuco. Segundo nota do MD, o setor industrial quer identificar ainda mais efetivas oportunidades de negócios entre as Forças Armadas e as indústrias locais. “Para cumprir esta missão de descentralizar a indústria da defesa, estamos trazendo várias indicações, entre as quais uma linha de financiamento do BNDES voltada para esse setor e a garantia também do financiamento por fundos regionais” explicou Raul Jungmann, reconhecendo que o governo de Pernambuco também está fazendo a sua parte com os incentivos do Prodepe, o programa de apoio à indústria. Jungmann destacou ainda que o Parque Tecnológico Porto Digital, instalado no Recife, também será um importante diferencial para que o sucesso na implantação deste novo pólo industrial no estado.

Fonte: Indústria de Defesa & Segurança com inf. de MD

NOTÍCIAS RELACIONADAS

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

Leave A Reply