BRASIL registrou 25.012 roubos de carga em 2017, que geraram um prejuízo de R$ 2,06 bilhões

Xeque-mate

De acordo com o estudo “Roubo de cargas no Brasil – 2017″, da MC2R Inteligência Estratégica, no ano passado foram registrados 25.012 casos de roubos de cargas no país, um crescimento de 2,6% em relação a 2016, quando foram registradas 24.375 ocorrências. Entre 2010 e 2017, o número de ocorrências registradas atingiu 136.295. Durante o período houve um crescimento de 138,9% nas ocorrências, com um roubo de cargas no Brasil a cada 30m51s, em média. Em 2017, de cada grupo de 67,9 veículos de carga que circulam no Brasil, um foi roubado. 

.: Clique aqui e assista a entrevista de Riley Rodrigues sobre roubo de cargas na Globo News

O custo do roubo de cargas, considerando apenas o valor das mercadorias roubadas, chegou a R$ 2,06 bilhões em 2017, crescimento de 45,03% em relação a 2016. Em oito anos o custo do roubo de cargas aumentou 238,33% e o valor acumulado superou R$ 8,79 bilhões.

Os estados do Rio de Janeiro e São Paulo responderam por 84,7% das ocorrências nacionais, ante 81,3% em 2016.

A gravidade do roubo de cargas no Brasil pode ser medida pela comparação internacional. Em 2017, a Europa registrou 2.124 casos de roubos de carga em 21 países. A Transport Asset Protection Association considera que nos últimos anos houve uma explosão dos casos. Em toda a Europa ocorreram 5,8 casos por dia, em média. A situação mais grave é a do Reino Unido, onde foram registradas 1.296 ocorrências (61,02% da Europa). O número de ocorrências que tanto preocupa as autoridades europeias equivale a 8,5% dos casos registrados no Brasil.

Na América do Norte, o México registrou o maior número de ocorrências em 2017, com 4.030 casos. Para a Confederación de Cámaras Industriales (Concamin) esse número é alarmante e mostra que o roubo de cargas fugiu do controle no país. Esse número representa 16,1% dos casos registrados no Brasil.

Nos Estados Unidos, onde a preocupação com o roubo de cargas levou à criação de 45 forças tarefas no país, sendo seis federais, em 2017, foram registrados 741 casos, equivalente a 3% das ocorrências registradas no Brasil. O estado onde se concentram as ações contra o roubo de cargas por ser considerado com a situação mais grave é a Califórnia, onde ocorreram 237 casos em 2017.

Em todos os casos os estados do Rio de Janeiro e de São Paulo, isoladamente, superam todos os registros ocorridos nos países da Europa e América do Norte, juntos. Esse dado transforma os dois estados, especialmente o Rio de Janeiro, que assumiu a liderança nacional no número de casos em 2017, nas áreas mais perigosas do mundo para o transporte de cargas.

O estudo da MC2R Inteligência Estratégica apresenta ainda dados inéditos, jamais trabalhados no Brasil, especialmente em relação à região Norte, como no caso do Amazonas, onde a maior parte dos roubos de cargas ocorre não nas rodovias, mas nas hidrovias. Esses casos não são registrados como roubos de carga por serem considerados atos de pirataria, o que levanta uma séria questão a ser discutida em uma nova coluna: os atos de pirataria nos rios e na costa brasileira.

Acesse o estudo completo aqui!
Riley Rodrigues de Oliveira
Diretor-presidente – MC2R Inteligência Estratégica
www.mc2r.net

Newsletter

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

1 Comentário

  1. NARCOESTADO DO BRASIL DA MÁFIA PT > Aqui no Rj virou melhor negocio para narcoterroristas de favela e que tem apoio do esquerda. Quando mais roubo menos emprego , mais falência de empresa , comercio e mais custo para quem compra no mercado legal. Quem paga robôs é o consumidor.

Leave A Reply