Conselho de Segurança da ONU faz reunião de emergência após suposto teste de míssil do Irã

Fonte: DW e Reuters//

Um suposto teste com mísseis balísticos que teria sido efetuado pelo Irã no último fim de semana deixou a comunidade internacional em alerta. Israel e União Europeia (UE) criticaram a manobra, e o Conselho de Segurança da ONU anunciou uma reunião de emergência para discutir o assunto. Nesta terça-feira (31), o ministro do Exterior do Irã, Mohammad Javad Zarif, se negou a confirmar que o país fez o teste, mas reforçou que a “questão dos mísseis não é parte do acordo nuclear” firmado com grandes potências em 2015.

.: Leia também: Rússia e Irã negociam US$ 10 bi em armamentos, diz agência

Zarif acrescentou que os mísseis do Irã não foram “desenhados” para ter capacidade de transportar armas nucleares. “Esperamos que o programa de defesa do Irã não seja usado pela nova administração dos Estados Unidos como pretexto para criar novas tensões”, afirmou. “O Irã nunca vai usar mísseis produzidos no Irã para atacar qualquer outro país.”

A resolução 2231 do Conselho de Segurança das Nações Unidas proíbe o Irã de fazer testes com mísseis de capacidade nuclear. O conselho se reúne em caráter de emergência nesta terça-feira para discutir o suposto teste. A reunião extraordinária foi convocada pelos Estados Unidos com base num apelo do embaixador israelense na ONU, Danny Danon. “A comunidade internacional não deve enterrar sua cabeça na areia diante dessa agressão do Irã”, afirmou o diplomata.

.: Leia também: Brasil não tem força militar para integrar Conselho de Segurança da ONU, acredita Jungmann

Já a Rússia argumentou que o suposto teste com mísseis balísticos não contradiz a resolução da ONU sobre o programa nuclear do Irã. “Tais ações, se aconteceram, não ferem a resolução”, disse o vice-ministro do Exterior da Rússia, Sergei Ryabkov. Para ele, a solicitação de uma reunião do Conselho de Segurança da ONU tem o intuito de escalar a situação.

OTAN
A Otan abriu uma investigação sobre o suposto lançamento de mísseis balísticos. “Estamos investigando a natureza do que aconteceu, os detalhes que cercam o lançamento de mísseis balísticos”, afirmou o secretário-geral da organização, Jens Stoltenberg. Ele afirmou que a Otan vai continuar a desenvolver seu sistema defensivo de mísseis balísticos contra ameaças externas. “Vemos que diferentes nações, incluindo o Irã, estão desenvolvendo diferentes tipos de mísseis balísticos e testando e reforçando seus sistemas”, afirmou.

IRÃ
O acordo nuclear do Irã entrou em vigor em janeiro do ano passado, e as sanções internacionais ao país foram suspensa. A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) certificou que Teerã havia cumprido suas obrigações de garantir a natureza estritamente pacífica do seu programa nuclear, cumprindo os termos do tratado firmado com os EUA, Rússia, Reino Unido, França, China e Alemanha em julho de 2015.

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

Leave A Reply