DEFESA> Marinha e Exército começam ‘Operação Fronteira Sul’

Fonte: Ministério da Defesa e Portal Pantanal//

A Marinha e o Exército fazem operação conjunta na fronteira sul do País. Intensas movimentações de navios, aeronaves e tropas já podiam ser observadas no início da semana entre os dias 4 e 5 de outubro, no Complexo Naval de Ladário. Tratava-se da concentração dos meios e de pessoal subordinados aos Comandos do 6º Distrito Naval e da 18ª Brigada de Infantaria, visando a preparação para a Operação “Fronteira Sul”. O grupo de militares atua no patrulhamento da hidrovia do rio Paraguai e executa a Operação Ribeirinha, em uma região pré-estabelecida no sul do estado.

.: Leia também: FISCALIZAÇÃO> Exército quer parceria com Polícia e Receita Federal para combate a tráfico de armas

A ação conjunta, que será realizada até 21 de outubro, tem o objetivo de aperfeiçoar o nível de treinamento dos militares, além de levar assistência médica e odontológica às populações ribeirinhas, fiscalizar o tráfego aquaviário e aumentar a segurança da navegação no Rio Paraguai. A ação acontece em conjunto com a Operação “Ricardo Franco” – Força Terrestre e conta com navios, aeronaves, lanchas, viaturas, apoio de embarcações e tropas do Exército Brasileiro, totalizando o envolvimento de mais de 800 militares na Operação Naval.

O 4° Esquadrão de Helicópteros da Marinha do Brasil recebeu uma aeronave modelo “Esquilo” HA-1 do 3º Batalhão de Aviação do Exército, que também integrará o exercício militar. De acordo com as forças, a participação da aeronave representará uma expressiva contribuição para o realismo das ações, tendo em vista a sua capacidade em atuar também no período noturno, permitindo assim o seu emprego em conjunto com outros dois “Esquilos” UH-12 da Força Naval. O conjunto dos três helicópteros será operado, durante 24 horas, nos reconhecimentos das calhas dos rios e em áreas terrestres; nas missões de ataque simulado a alvos terrestres e fluviais e; no transporte de tropas. Ainda segundo as forças, o emprego conjunto destes meios aéreos aumentará a flexibilidade e amplitude das ações e, consequentemente, dos resultados esperados. Uma ocasião ímpar para consolidar a interoperabilidade entre as Forças e suas potencialidades.

Durante o primeiro dia de travessia da Operação, os navios também realizaram exercícios individuais de reação rápida; ações de inspeção naval nas embarcações e comboios no Rio Paraguai. Treinamentos de ações de reconhecimento aéreo e ações de defesa antiaérea, devido à atuação simultânea de duas aeronaves da Marinha e do Exército.

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

 

Leave A Reply