DEFESA: Morre Jairo Cândido, diretor titular do Comdefesa da Fiesp

Fonte: Indústria de Defesa & Segurança//

O diretor titular do Comdefesa (Comitê de Defesa) da Fiesp Jairo Cândido morreu nesta terça-feira, 18 de julho. Atuante para a valorização das Forças Armadas e na reconstrução do segmento de defesa, Cândido foi um dos pioneiros na busca pelo debate da Lei 12.598, que estabelece normas especiais para as compras, as contratações e o desenvolvimento de produtos e de sistemas de defesa no Brasil.

.: Leia também:  ‘Aquisição do Gripen é um modelo a ser seguido’, diz Jairo Cândido

O proprietário do Grupo Inbra, empresa que atua na área de blindagens e fornece para as Forças Armadas e de segurança, também atuou como um dos articuladores da negociação para a compra do novo caça da Força Aérea Brasileira (FAB), o Gripen NG. Ele defendia que o modelo de aquisição da aeronave é “uma lição a ser seguida” em outros setores da Defesa. “Ao contrário de 40 anos atrás, quando montávamos o Xavante sob licença na forma de kits desmontados, o Brasil tem hoje domínio para desenvolver modernos aviões a jato e capacidade para evoluções futuras como o Gripen”, disse durante um seminário sobre a indústria aeronáutica promovido pela FAB em 2015.

“O setor industrial precisa se vocacionar para o que vai realmente produzir. Defesa não é uma estrutura que possa virar análise de franchising, que em qualquer lugar trata do mesmo assunto. Não é assim. O poderio econômico não está atrelado ao poderio de conhecimento, e nem tudo que é conhecimento se compra. É preciso trabalhar com a capacidade instalada do Brasil e fazer as coisas se desenvolverem. Existe um período de ajustes entre as empresas mais capitalizadas ou maiores e a grande massa do conhecimento que está depositada nas pequenas e médias empresas. Talvez seja este, hoje, o grande trabalho, o grande momento que estamos vivendo”, declarou em entrevista ao Simde.

O diretor do Comdefesa também era um crítico ao problema da falta de continuidade no orçamento para seguir o cronograma de execução previsto nos Projetos Estratégicos das Forças Armadas.  Cândido lutava contra um câncer. O velório será realizado nesta terça, a partir das 12 horas e o sepultamento será realizado às 15 horas, ambos no Cemitério do Morumbi.

Ministro-Jungmann-recebe-diretor-da

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

Leave A Reply