EMBRAER busca ativamente vendas do KC-390 aos seus parceiros

Fonte: Quwa – Defence News & Analysis Group via Poder Aereo//

A gigante brasileira de aviação Embraer tem buscado uma venda firme no exterior para seu avião de reabastecimento e transporte multifunção KC-390. A Embraer esperava convencer a Força Aérea da Suécia a escolher o KC-390 para substituir seu avião de transporte Lockheed Martin C-130H Hercules. No entanto, a Suécia optou por manter os seus C-130Hs em serviço até o início de 2030, efetivamente empurrando a perspectiva de uma compra de aeronaves de transporte para a década de 2020. Por enquanto, a Suécia não pensa que seja rentável substituir os seus C-130Hs.

.: Leia também: EMBRAER trabalha para garantir exportação de mais 32 KC-390

Embora a Embraer tenha 28 encomendas domésticas dos militares brasileiros, ainda não converteu cinco Cartas de Intenção (LoIs) para 32 aeronaves em vendas firmes. Argentina (seis), Chile (seis), Colômbia (12), República Tcheca (dois) e Portugal (seis) assinaram LoIs. Para a Embraer, converter essas vendas intencionais em encomendas firmes iria instilar confiança externa na plataforma e gerar escala.

A Embraer pretende captar uma parcela considerável do mercado de usuários antigos de C-130B/E/H. No entanto, enquanto o KC-390 está mostrando cada vez mais sua versatilidade — com testes de reabastecimento em seco bem sucedidos em fevereiro — seu status como uma nova plataforma poderia ser uma desvantagem contra o C-130. A Lockheed Martin está confiante na ideia de que os usuários existentes do C-130 prefeririam um C-130 de nova geração (ou seja, “apenas um Hercules pode substituir um Hercules”) que, embora uma aquisição dispendiosa, traria um desempenho, uma capacidade e confiabilidade garantidos.

Avançando, a Embraer receberá apoio do governo brasileiro, que estabelecerá uma linha de crédito para as exportações brasileiras de defesa. Sob o plano, os potenciais compradores poderiam receber planos de financiamento — para a totalidade da compra — de até 25 anos, com um período de carência de cinco anos. Esta deve ser uma ferramenta eficaz para gerar interesse entre os mercados mundiais sensíveis aos custos e em desenvolvimento. Os clientes e parceiros de lançamento do KC-390 também se beneficiarão das disposições de coprodução.

Até agora, os membros da OTAN (por exemplo, a Alemanha) e parceiros próximos dos EUA (por exemplo, a Nova Zelândia) optaram por selecionar hardware dos EUA, tal como o C-130J e o P-8, respectivamente, para substituir sistemas antigos. As perspectivas da Embraer serão mais fortes entre países fora desses reinos.

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

Leave A Reply