EMBRAER E BOEING: Interesses comerciais e de Estado em um mesmo negócio

O anúncio da venda da Embraer para a Boeing levanta uma série de questões.  Há os que veem na transação uma prova da eficiência tecnológica e mercadológica da Embraer, a prova definitiva de sua alta qualidade e competitividade no mercado internacional.  Há os que veem mais um ato de entreguismo, onde o Brasil estaria deixando ir para outro país uma indústria que tem a sua marca e construída graças a privilégios fiscais e de crédito recebidos do governo brasileiro e que não serão recompensados  no caso da venda. Há os que pensam que nada muda na prática, já que  a Embraer tem se internacionalizado ao longo  dos anos, possui fábricas nos Estados Unidos, na China, em Portugal e tem o seu controle acionário repartido entre diversos fundos de investimentos internacionais.

Caso a Embraer se dedicasse somente a produção destinada a aviação comercial, haveria poucas dúvidas sobre o negócio. Seria mais um “merge&aquisition”, para usar o jargão de mercado. Só que a Embraer é também a nossa maior empresa de defesa. E essa razão justifica um interesse maior das autoridades e da população sobre o que vai resultar dessa transação.

Há os interesses da FAB, a Embraer responde por grande parte dos aviões de nossa Força Aérea, que devem ser preservados.  Há que se saber  da existência de patentes em produtos de defesa que  porventura estejam incluídas na transação.  E há o problema da certeza de fornecimento por parte da Embraer no caso do engajamento brasileiro em algum conflito.

Estas são as questões delicadas a serem tratadas pelo governo brasileiro.  E são essas questões a causa de o Brasil ter uma “golden share” no controle acionário da Embraer.

 Em resumo, esse é um negócio que passa por uma análise das  autoridades encarregadas em nossa defesa.   É um negócio a ser avaliado por suas vantagens comerciais e por suas consequências na nossa política de  defesa.  Se houver uma resposta que harmonize esses dois interesses ele será realizado.

Por José Carlos Mattos
Editor do Site Indústria de Defesa & Segurança

NOTÍCIAS RELACIONADAS:

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

Leave A Reply