EMBRAER garante que vai respeitar interesse nacional em possível acordo com Boeing

embraer-boeing

 

Em comunicado aberto ao mercado, a Embraer reafirmou que em uma eventual parceria com a norte-americana  Boeing serão respeitados os interesses de segurança nacional. “Não há qualquer intenção da Embraer de ‘driblar’ alegada resistência a qualquer transação”. O governo brasileiro possui uma “golden share” da empresa que garante poder de vetar qualquer negócio que seja contrário aos interesses do Estado.

.: Leia também: BOEING negocia compra da Embraer, diz The Wall Street Journal

A nota foi divulgada na última segunda-feira (8) como uma resposta às notícias de que a Boeing estaria interessada em incluir a divisão militar da Embraer na parceria. O comunicado é assinado por José Antonio de Almeida Filippo, vice-presidente executivo Financeiro e de Relações com Investidores da Embraer.

Sobre a especulação de valor das ações no mercado norte-americano (ADR), cujas notícia chegou a dar conta que a Boeing estaria disposta a pagar US$ 28 por ADR, a Embraer diz não ter elementos para se manifestar sobre o tema. “Nesta data não há sequer definição sobre a estrutura de uma potencial combinação de negócios. Dados esse cenário, não cabe à Embraer especular acerta dos critérios de avaliação adotados pela Boeing”, disse a companhia brasileira.

LEIA NA ÍNTEGRA A NOTA

Transcrevemos abaixo consulta enviada pela B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão (“B3”) à Embraer S.A. (“Embraer” ou “Companhia”), por meio do Ofício 20/2018SAE (“Ofício”), de 5 de janeiro de 2018, às 16h54m, no âmbito do Convênio de Cooperação firmado com a Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”):

 “Em notícia veiculada pela Agência Estado Broadcast, em 05/01/2018, sob o título “Pulso do Mercado: Embraer ON entra em leilão e cai mais de 4% após notícia envolvendo a Boeing”, consta, entre outras informações, que:

1. A Boeing e Embraer discutem maneiras de driblar a resistência do governo brasileiro ao negócio;

2. A empresa norte-americana estaria disposta a pagar US$ 28 por ADR.

Solicitamos esclarecimentos sobre os itens assinalados, até às 9hs de 08/01/2018, com a sua confirmação ou não, bem como outras informações consideradas importantes.” Em atendimento ao Ofício, esclarecemos que as informações relevantes existentes relacionadas com a notícia acima transcrita não diferem daquelas já divulgadas em Fato Relevante disponibilizado no website da CVM e da B3 às 16h42m do dia 21 de dezembro de 2017.

Não há qualquer intenção da Embraer de “driblar” alegada resistência a qualquer transação. Eventual combinação de negócios com a Boeing, se e quando concretizada, deve preservar, antes de mais nada, os interesses estratégicos da segurança nacional e respeitar  incondicionalmente as restrições decorrentes da ação de classe especial (golden share) constantes do estatuto social da Companhia, de titularidade do Governo Brasileiro.

A administração da Embraer tomou, como sempre tem feito, boa nota das manifestações públicas do Governo Brasileiro e seguirá em conformidade com elas em quaisquer futuros entendimentos.

Em relação ao valor por ADR mencionado na notícia, a Embraer esclarece que não possui neste momento elementos para manifestar-se sobre esse tema, uma vez que nesta data não há sequer definição sobre a estrutura de uma potencial combinação de negócios. Dado esse cenário, não cabe à Embraer especular acerca dos critérios de avaliação adotados pela Boeing.

Reiteramos que a Companhia manterá seus acionistas e o mercado informados na medida em que o assunto em questão evolua.

São José dos Campos, 8 de janeiro de 2018.
José Antonio de Almeida Filippo
Vice-Presidente Executivo Financeiro e Relações com Investidores

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

Leave A Reply