EUA: Militares americanos visitam unidades do EB e da FAB

Uma comitiva de militares americanos esteve no Brasil em visita a unidades do Exército e da Força Aérea. A notícia foi divulgada nas páginas das Forças. A Brigada de Infantaria Pára-quedista recebeu, no dia 13 de março, a visita do Major-General Mark Robert Stammer, Comandante do Exército Sul dos Estados Unidos da América, e sua comitiva, acompanhado do General de Divisão William Georges Felippe Abrahão, 5º Subchefe do Estado-Maior do Exército. A Comitiva foi recepcionada pelo Comandante da Brigada de Infantaria Pára-quedista, General de Brigada Kleber Nunes de Vasconcellos.

.: Leia também: EXÉRCITO recebe novos obuseiros M109 A5 ex-US Army

A comitiva americana conheceu o Museu Aeroterrestre e a Área de Estágios, onde houve uma demonstração das atividades curriculares da formação do combatente paraquedista. No campo de parada do 26º BI Pqdt, ocorreu a demonstração da Força-Tarefa Santos Dumont e uma exposição do material militar empregado pela tropa paraquedista. A visita se encerrou no Batalhão de Dobragem, Manutenção de Paraquedas e Suprimento pelo Ar, onde a comitiva acompanhou o tradicional Badernaço Paraquedista durante o almoço.

Já na FAB, uma comitiva da USAF visitou o Primeiro Esquadrão do Quarto Grupo de Aviação (1°/4° GAV), conhecido como Esquadrão Pacau, sediado na Ala 8, em Manaus (AM). Na visita, realizada na segunda (12), os militares da Força Aérea dos Estados Unidos verificaram se a FAB cumpre os critérios necessários à participação do Exercício Red Flag, um dos maiores treinamentos aéreos do mundo, realizado na Base Aérea de Nellis, nos Estados Unidos.

O Red Flag é um exercício avançado de poder aéreo realizado pela USAF e conta com a presença de pilotos da United States Air Force (USAF), United States Navy (USN), United States Marine Corps (USMC), United States Army (USA) e de várias forças aéreas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), entre outras nações aliadas. De acordo com o Chefe da Seção de Apoio do 1°/4° GAV, Major Aviador Thiago Ferreira de Souza, a participação no Red Flag traz benefícios operacionais para o esquadrão e para a FAB. “Participar de uma missão dessa magnitude é de extrema importância para agregar os conhecimentos utilizados pela OTAN assim como pelas Forças Armadas Norte Americanas”, afirmou.

A programação da visita da USAF incluiu palestra sobre possibilidades de emprego e evolução doutrinária, bem como briefing/debriefing de voo de Combate Além do Alcance Visual (BVR, na sigla em inglês). O grupo também conheceu as instalações do Esquadrão, além das Unidades Aéreas e de Logística pertencentes à Ala 8. “A ideia da visita era analisar o nível operacional no que se refere à doutrina de emprego BVR, assim como a realização do briefing, voo e debriefing nos padrões utilizados pela OTAN”, explicou o Major Thiago.

Fonte: ID&S com inf. de FAB e EB

Newsletter

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

2 Comentários

  1. Larri Gonçalves on

    Durante os anos 80 eu era do EB me lembro da presença de oficiais americanos observando nossas instruções e acompanhando o cotidiano das OM, mas desta vez, parece num primeiro momento, que tem um caráter de inspeção da real capacidade de nossas FFAA, acho que é um erro expor nossas FFAA a este tipo de atitude das FAA de um país estrangeiro, sem falar que expõem nossas capacidades, sei que é usual isto com países de mesma capacidade bélica, mas com os USA, tenho minhas dúvidas.

  2. você acha mesmo que os EUA tem medo do Brasil? e precisam verificar nossa capacidade militar? Os caras gastam 500 BI por ano com suas FFAA enquanto o Brasil gasta 90 bi e 70% disso é só pra pagar salários e outras coisas. Se eles quiserem, tomam o país inteiro em questão de 1 semana, e olhe lá.

Leave A Reply