Exército vai ocupar áreas vazias na fronteira com a Colômbia, anuncia Jungmann

Fonte: ID&S com inf. de G1 e MD//

Militares do Exército serão redistribuídos na fronteira com a Colômbia, anunciou o ministro da Defesa, Raul Jungmann. A declaração foi dada após reunião com o ministro colombiano Luiz Caros Villegas na última terça-feira (31), em Manaus. “Temos grandes fronteiras, cerca de 1,4 mil quilômetros de fronteira. Precisamos redistribuir, cooperando para que os vazios que existem nessa fronteira sejam preenchidos, ora mais pelo Brasil, ora mais pela Colômbia, já que não há condições de bloqueio. Queremos inclusive fazer o mesmo em outros países”, informou.

.: Leia também: Colômbia e Brasil articulam segurança nas fronteiras

Brasil_Colombia_grande IIJungmann anunciou ainda um acordo para o compartilhamento de informações de Inteligência. De acordo ele, os setores de ambos os países devem começar a atuar de forma integrada. “Nós acordamos que temos que ter uma integração na área de Inteligência, que consideramos absolutamente estratégico. Essa inteligência vai se dar desde os postos de fronteira do Brasil e Colômbia, até o mais alto nível em Brasília, em termos ministeriais. Por tanto, vamos ter um tráfego fluido, integrado, contínuo e diário de informações entre Brasil e Colômbia, no que diz respeito às nossas preocupações em comum”, contou.

Foi anunciado também o combate à imigração ilegal, inclusive, nacionais dos países que atuam no tráfico de entorpecentes, bem como o apoio das Forças Armadas brasileiras no processo de desminagem de parte do território colombiano.

FACÇÕES CRIMINOSAS
A reunião entre os ministros do Brasil e da Colômbia surgiu como necessidade dos países reforçarem o combate às quadrilhas na região de fronteira. O ministro colombiano assegurou que o acordo de paz entre o governo colombiano e as FARC não será motivo de preocupação ao Brasil. Luís Villegas prometeu o combate intenso contra os dissidentes desta facção, bem como assegurou que não permitirá que os grupos criminosos brasileiros, como o PCC, o CV e a FDN se associem aos dissidentes colombianos.

O ministro brasileiro esclareceu também que no encontro com Villegas ficou decidido que o país vizinho informará ao Brasil sobre as armas depostas pelas FARC, para que seja efetivado o maior controle deste arsenal e impeça que esses equipamentos cheguem às mãos de criminosos brasileiros.

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

Leave A Reply