FAB cria Grupamento de Aquisições Específicas

Para padronizar as aquisições da Força Aérea Brasileira (FAB), o Comandante Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato criou o Grupamento de Aquisições Específicas (GAE). O objetivo é desenvolver um padrão único de aquisições em quatro áreas: logística, saúde, abastecimento e controle do espaço aéreo, congregando a expertise dos já existentes Grupamento de Apoio da Saúde (GAPS), Grupamento de Apoio às Unidades do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (GAPCEA) e Grupamento de Apoio Logístico (GAL).

.: Leia também: BID: Brasília e Moscou expandem comércio na área de helicópteros

Para assumir a missão foi designado o Brigadeiro do Ar Luiz Ricardo de Souza Nascimento como presidente da Comissão de Implantação da nova organização. “O desafio é colocar um padrão único nas aquisições, com base nas leis nacionais, mas principalmente dar mais eficiência no trato da gestão pública, colocando mais transparência, agregando novos procedimentos”, disse o Brigadeiro Luiz Ricardo.

A nova unidade faz parte do processo de reestruturação administrativa e operacional da FAB. Outra mudança anunciada atinge as bases aéreas, que não possuem esquadrões de voo. A partir de agora elas terão novas estruturas de subordinação – cinco delas passarão à Secretaria de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica (SEFA) e uma – a de São Paulo – passará ao Comando-Geral de Apoio (COMGAP).

Deixam de pertencer ao Comando de Preparo (COMPREP) as bases aéreas de Fortaleza (BAFZ), Salvador (BASV), Afonsos (BAAF), Santos (BAST) e Florianópolis (BAFL) e passam à subordinação da SEFA – mais especificamente ao Centro de Apoio Administrativo da Aeronáutica (CEAP), que já possui sob sua responsabilidade os Grupamentos de Apoio (GAPs) e as Prefeituras de Aeronáutica. Esses locais funcionarão como bases de desdobramento, ou seja, à disposição para receber exercícios, operações ou funcionar como ponto de apoio às aeronaves em trânsito.

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

Leave A Reply