FAB prepara projeto para aquisição de um satélite de observação da Terra

A Força Aérea Brasileira (FAB) prepara a aquisição de um satélite de observação da Terra. Em nota divulgada, a Força revelou que o processo do lançamento do equipamento até o fim de sua operação será controlado pelo Centro de Operações Espaciais (COPE). “Será um sistema orbital de sensoriamento remoto ótico, de nível intermediário, em uma escala da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) que define a qualidade da imagem para uso em inteligência e sistemas de agricultura”, resumiu o Coronel Aviador José Vagner Vital.

.: Leia também: SAAB faz vistoria estrutural na futura base aérea do Gripen

A partir de agora, o órgão finalizará o projeto, seguirá os trâmites orçamentários e de aquisição e fará o contato com demais órgãos relacionados ao setor espacial. A compra ainda pode trazer um grau de evolução da tecnologia nacional, com a negociação de parcerias com empresas privadas. “O Sistema tem um bom potencial para se pagar e permitir que as empresas nacionais se desenvolvam dentro deste mercado, trazendo mais riquezas para o País. Ele traz ainda um emprego com maior eficiência dos meios da FAB: no lugar de enviar um drone ou uma aeronave, se consegue, através do satélite, um planejamento e informações mais adequadas. Não só da FAB, mas a Marinha e o Exército também conseguem utilizar os meios com muito mais critério, aumentar a eficiência e reduzir o risco das operações”, completou.

Na última terça-feira (27), foi realizada a primeira reunião do Comitê de Governança de Atividades Espaciais (CGE), formado pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato; o Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Raul Botelho; o Comandante de Operações Aeroespaciais, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Vuyk de Aquino; e o Diretor-Geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira. No encontro, foi apresentada e aprovada a linha de ação a ser seguida pela Comissão de Coordenação de Implantação de Sistemas Espaciais (CCISE), representada por seu Chefe, Major-Brigadeiro do Ar Luiz Fernando de Aguiar, e seu Vice-Chefe, Coronel Aviador José Vagner Vital.

Após a reunião, foi inaugurada a nova instalação da CCISE, que ficará alocada na Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), em Brasília (DF). A Comissão, que permanece subordinada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), tem quatro salas preparadas para que os 13 militares da Marinha (1) Exército (1) e Aeronáutica (11) continuem dando andamento aos processos já correntes como o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC). Para o Chefe da CCISE, Major-Brigadeiro do Ar Luiz Fernando de Aguiar, a Comissão locada mais próxima dos comandos facilita a coordenação, planejamento e decisões. “Migrar a CCISE para Brasília facilitou as demandas e necessidades das outras Forças para dentro da Comissão, com isso podemos agir de forma mais integrada nos projetos”, explicou o oficial-general.

O Comandante da Aeronáutica destacou os benefícios da proximidade da Comissão junto aos centros de decisões e a importância do papel da FAB na atividade espacial. “A CCISE realiza os estudos e apresenta aos comandos que então tomam as providências cabíveis. A permanência da Comissão em Brasília facilitará as tomadas de decisões e isso acarreta nos resultados dos projetos”, analisou. A CCISE foi constituída em fevereiro de 2012 pelo Ministério da Defesa em conjunto com o Comando da Aeronáutica, visando coordenar os trabalhos afetos à definição e a implantação de sistemas espaciais relativos à defesa, incluindo seus elementos orbitais e a respectiva infraestrutura de apoio.

Fonte: FAB

Newsletter

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

1 Comentário

  1. FORÇAS ARMADAS DO BRASIL SUCATEADAS NOS 13 ANOS DA MÁFIA PT E MAFIOSA DILMA 171 ROUSSEF > FAB quer mais um satélite sendo que tem que se pagar pelos de 3 de comunicações que Dilma 171 Rousseff pagou por U$2,1 bilhões. A economia e o orçamento da união estão em crise com a verba do MINISTÉRIO DA DEFESA estão comprometidas com o PROSUB, FX, HX e outros superfaturados. O sonho deles vai demorar.

Leave A Reply