FORÇAS ARMADAS conquistam R$ 1.1 bilhão para manter Programas Estratégicos

Fonte: Indústria de Defesa & Segurança//

O governo federal liberou mais de R$ 2 bilhões para o Ministério da Defesa. O repasse faz parte de um esforço do Comando das três Forças (Marinha, Exército e Aeronáutica) para evitar a paralisação dos programas estratégicos. Do montante, que tinha sido contingenciado no início do ano, R$ 1,1 bilhão será repassado para os programas estratégicos das Forças Armadas.

.: Leia também: ORÇAMENTO: Exército só tem recursos para até este mês, declara Gen. Villas Bôas

“A ampliação dos limites do PAC de R$ 1,1 bilhão, recompõe, parcialmente o corte efetuado em julho corrente (de R$ 1,4 bilhão) e permitirá atender parte do cronograma dos programas estratégicos para o país e para as Forças Armadas, tais como: Construção de Base de Submarinos, Submarinos Convencionais e um movido à energia nuclear; Desenvolvimento e aquisição de avião cargueiro (KC-390),em parceria com a Embraer, e Sistema de vigilância das fronteiras terrestres, dentre outros”, respondeu em nota a Pasta.

.: Leia também: om contingenciamento, PROSUB tem verba para só mais 4 meses

De acordo com a Pasta, o restante do valor repassado “Programações permitirá ao Ministério e aos Comandos Militares honrar, ainda que parcialmente, compromissos diversos relativos à manutenção das mais de 1.600 Organizações Militares espalhadas pelo país; obrigações relacionadas ao sistema de controle do espaço aéreo; do patrulhamento do mar territorial e das fronteiras terrestres; manutenção e treinamentos operacionais das Forças, de forma a garantir o pronto emprego; pagamentos relativos às missões de paz, dentre diversos outros”.

No mês passado, o Comandante do Exército Brasileiro (EB), general Eduardo Villas Bôas, tinha falado do esforço para negociar a liberação de verbas para as Forças Armadas. “Houve um contingenciamento de 44% que nos permitiu sobreviver até agora em setembro. Agora estamos em um ‘puxa e afrouxa’ com a área econômica do governo para tentar obter mais recursos que nos permita chegar até o final do ano”, disse na ocasião.

A Marinha do Brasil também se mostrou preocupada com a falta de recursos. O Prosub (Programa de Desenvolvimento de Submarinos) da Força Naval também só tinha recursos para até setembro, como afirmou o coordenador geral do programa, Almirante Max Hirschfeld, durante a LAAD, no início do ano. 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

Leave A Reply