GENERAL orienta empresários do Amazonas sobre a venda de produtos para o Exército

Fonte: D24AM//

O comandante de Logística do Exército Brasileiro, general Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, realizou, na tarde desta quinta-feira (26), uma palestra com o objetivo de mostrar novas oportunidades a empresários da indústria amazonense, em relação à venda de materiais logísticos que podem ser utilizados pela Força. O general explicou, também, como será realizado o Amazonlog 2017, um treinamento do Exército em Tabatinga (a 1.108 quilômetros a oeste de Manaus).

.: Leia também: EUA ainda não confirmaram participação no AmazonLog, diz gen. Theophilo Gaspar

Durante o evento, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Antonio Silva, disse que a parceria com o Exército traz benefícios para a indústria local. “O Exército sempre foi um parceiro muito grande das indústrias em tempos passados, e o Amazonas foi um dos Estados mais beneficiados. A indústria só tem a agradecer o aparecimento de novas oportunidades”, disse.

De acordo com o general, a venda de materiais logísticos por parte da indústria amazonense é uma oportunidade ainda não aproveitada. “Eu vou mostrar para o empresariado local aqui do Amazonas a oportunidade que o Exército tem de fazer compras de diversos setores da indústria, que vai do calçado ao foguete, passando por uniformes, roupas e equipamentos. Quero mostrar também um outro mercado que compra muito o ano inteiro, que é a Organização das Nações Unidas (ONU), que compra 15 bilhões de dólares dos mais diversos materiais”, explicou o general.

Entre os dias 6 e 13 de novembro deste ano, o Exército pretende realizar um exercício de logística em Tabatinga, onde fica a tríplice fronteira. A atividade, chamada de Amazonlog 2017, visa auxiliar cidadãos que passem por calamidades públicas e catástrofes. “O Amazonlog 2017 é um exercício inédito no continente sul-americano. Nós pretendemos realizar uma base logística com outros países para atuar em diversas catástrofes e calamidades públicas e no acolhimento de refugiados. É uma tarefa que já existe em outros países, por exemplo”, concluiu.

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

Leave A Reply