GOVERNO> BRICS não aceitam pressão nem limitação da soberania, diz Putin

Fonte: Sputnik//

Reunidos em cúpula em Goa, na Índia, de 15 a 16 de outubro, os chefes de Estado do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) vão divulgar em declaração que não aceitam pressòes nem limitações da soberania dos outros países. A informação foi dada pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, em entrevista à agência russa RIA Novosti e à agência indiana IANS. Putin sublinhou que os BRICS são um elemento-chave do mundo multipolar que está se desenvolvendo. Os cinco membros do grupo confirmam repetidamente a sua lealdade aos princípios fundamentais do direito internacional e contribuem para consolidação do papel da ONU.

.: Leia também: PARCERIA> Crise brasileira não vai atrapalhar cooperação entre Forças Armadas, diz embaixador chinês

bb_michel-temer-participa-reuniao-cupula-g20-china_00209032016-850x567“Os nossos países não aceitam a política de pressões e de limitação da soberania dos outros países. Temos abordagens semelhantes quanto aos mais urgentes problemas internacionais, inclusive, à crise síria e à regularização no Oriente Médio. Por isso, as várias declarações das cúpulas – neste contexto a cúpula em Goa não será exceção – confirmam a nossa lealdade aos princípios fundamentais dos contatos internacionais, principalmente o respeito ao direito internacional com o papel coordenador da ONU. Frente às tentativas de vários países ocidentais de impor as suas abordagens unilaterais, tal posição adquire um significado especial”, disse.

Além disso, Putin disse que o futuro encontro dos líderes dos cinco países é uma boa oportunidade para compartilhar opiniões sobre os principais assuntos da agenda internacional. “Estamos determinados a cooperar na luta contra o terrorismo, a ameaça do narcotráfico, a corrupção e de contribuir para a regularização de conflitos, assegurar a segurança informacional internacional”, afirmou o líder russo. Putin frisou que todos os países dos BRICS estão preocupados com a instabilidade na economia mundial e irão analisar o que se deverá ser feito para ultrapassar estas dificuldades.

MICHEL TEMER

Comentando sobre a troca de governo no Brasil, o vice-ministro das Relações Exteriores da Federação da Rússia, Sergei Ryabkov, disse que não haverá alteração na agenda do grupo econômico e que o presidente Michel Temer mostra “continuidade”. “O contraterrorismo é um dos exemplos em que a parte brasileira desempenhou um papel ativo, positivo”, se manifestando a favor de um “diálogo não só ativo, mas interativo”, frisou.

De acordo com ele, a guerra na Síria será uma das pautas da reunião da cúpula. “O principal aqui é que nenhum dos países dos BRICS está pronto para apoiar uma solução militar do que acontece no Oriente Médio, um esquema de mudança violenta de governos indesejáveis, uma distinção entre terroristas ‘bons’ e ‘ruins’”, ressaltou.

cc_michel-temer-participa-reuniao-cupula-g20-china_00609042016-850x567

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

Leave A Reply