GRIPEN > Aeronáutica nomeia chefe do grupo de acompanhamento e controle na SAAB

Fonte: Indústria de Defesa & Segurança/

Em continuidade à aprovação do Congresso para a contratação do financiamento da aquisição e da montagem no Brasil de 36 caças Gripen NG, fabricados pela sueca SAAB, começam a ser colocadas em prática as primeiras ações para o andamento do programa de aparelhamento da Força Aérea Brasileira (FAB). A edição da última quinta-feira (20) do Diário Oficial da União publicou a nomeação de três oficiais que passaram a compor o Grupo de Acompanhamento e Controle na Empresa SAAB (GAC-SAAB), na cidade de Linkoping, na Suécia.

De acordo com a decisão anunciada pelo Comando da Aeronáutica, o Tenente-Coronel Aviador Paulo Rogerio Sobrinho assume a chefia do GAC-SAAB. O capitão intendente Bruno Koenigkan Ponte e o Suboficial BMA Guilherme Pessoa foram designados chefe e auxiliar da Seção Administrativa, respectivamente.

“A missão acima é considerada transitória, com mudança de sede, de natureza militar, de duração de 730 dias, com período máximo de retribuição no exterior de 790 das, e início previsto para 7 de outubro de 2015, com ônus total para o Comando da Aeronáutica”, informam as três portarias assinadas pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato.

Já na edição da última sexta-feira (21) do Diário Oficial da União, foi publicado despacho do Ministro da Fazenda, Joaquim Levy, autorizando o crédito no valor de até US$ 245,3 milhões (R$ 870 milhões) e de 39,8 bilhões de coroas suecas (R$ 4,7 bilhões) que financiará o programa, também denominado F-X2. O financiamento será contratado da agência sueca de crédito às exportações AB SEK pelo governo brasileiro. A operação já havia recebido autorização do Senado brasileiro no início do mês.

Assinatura do contrato
De acordo com o Ministério da Defesa, uma comitiva brasileira com representantes do Comando da Aeronáutica e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional irá a Londres esta semana para assinar o contrato financeiro do Projeto F-X2. A assinatura acontecerá após negociações para definição das taxas de juros, intermediadas pelo ministro da Defesa, Jaques Wagner, com representantes da AB SEK, em julho deste ano.

As taxas de juros firmadas foram de 2,19% permitindo ao governo brasileiro uma economia de até R$ 600 milhões. Com os percentuais definidos, o Senado Federal brasileiro aprovou o projeto. O crédito cobrirá 100% do contrato comercial, sem a necessidade do pagamento de sinal.

“A aprovação do projeto é uma decisão estratégica para garantir a soberania nacional do espaço aéreo brasileiro”, ressaltou Jaques Wagner.
O pagamento efetivo do financiamento só ocorrerá após o recebimento da última aeronave previsto para 2024.

Anunciado em dezembro de 2013, o contrato comercial com a empresa sueca SAAB inclui a compra de aeronaves de combate, suporte logístico e compra de armamentos necessários à operação dos caças.

A Força Aérea Brasileira receberá 36 aviões de caça Gripen NG. A primeira aeronave deverá ser entregue em 2019 e, a última, em 2024. O contrato prevê ainda a fabricação de 15 das 36 unidades no Brasil, incluindo oito unidades de dois lugares, um modelo criado especialmente para a FAB.

De acordo com o Ministério da Defesa, a participação do Brasil no desenvolvimento do projeto dará à indústria aeronáutica brasileira acesso a todos os níveis de tecnologia, incluindo os códigos-fonte do Gripen. O programa de transferência de tecnologia incluirá itens como a integração de hardware, aviônicos, software e sistemas da aeronave, além do intercâmbio de conhecimento com mais de mais de 350 brasileiros indo a Suécia para treinamento.

Em paralelo, a Embraer também vem se preparando para receber o Gripen NG e já realizou as obras de terraplanagem para construção do prédio que abrigará o Centro de Desenvolvimento Conjunto do projeto.