GUARANI> Exército aumenta capacidade de combate com torre israelense UT-30BR

Fonte: EPEX//

A torre não-tripulada UT-30BR (Unmanned Turret 30mm Brazil) – estabilizada em direção e elevação, blindada, montada externamente na VBTP-MR (Viatura Blindada de Transporte de Pessoal Média de Rodas) 6×6 Guarani – aumentou a capacidade de combate do Exército Brasileiro. De fabricação da empresa israelense Elbyt Systems Ltd., a família UT-30 já foi adquirida por vários países como Eslováquia, Bélgica e Portugal. Em uma torre não tripulada o atirador permanece protegido dentro do blindado, observa o campo de batalha por um monitor LCD e opera-o através de um punho semelhante a um joystick, não havendo a necessidade de se expor ao meio externo.

.: Leia também: RIO2016> FAB vai usar drones israelenses para monitorar espaço aéreo

phoca_thumb_l_guarani_07Esse equipamento foi adquirido para mobiliar as Brigadas de Infantaria Mecanizada (Bda Inf Mec) do EB. Inicialmente, as viaturas 6×6 Guarani, dotadas deste SARC (Sistemas de Armas Remotamente Controlado) serão distribuídas para os Batalhões de Infantaria Mecanizados (BI Mec) e para o Centro de Instrução de Blindados (CI Bld). Nos BI Mec, as viaturas farão parte dos Pelotões de Apoio de Fogo, das Companhia de Comando e Apoio de cada Batalhão. Um passo importante em um projeto ambicioso como este é a capacitação dos recursos humanos que irão experimentar seu emprego tático, disseminar o conhecimento de operação, manutenção e avaliar tecnicamente o Produto de Defesa (PRODE).

Portanto, visando as futuras atividades de experimentação doutrinária, instrução, avaliação técnica e operacional, o EB designou militares da 15ª Bda Inf Mec, do CI Bld e do Centro de Avaliações do Exército (CAEx) para realizarem o Curso de Operação e Manutenção de 1º Escalão e o Curso de Atirador Avançado da UT-30BR. Os cursos foram ministrados por técnicos da empresa (israelense) Elbit Systems e (brasileira) ARES Aeroespacial e Defesa S.A, entre 15 de maio e 7 de junho de 2016 nas instalações do CAEx, no Rio de Janeiro. Durante os cursos foram ministradas diversas instruções teóricas e práticas sobre a torre, seus armamentos, equipamentos e técnicas avançadas de tiro. Pode-se destacar a apresentação e operação do monitor, dos punhos do Atirador e do Comandante, e a realização do tiro real com munição 30mm e 7,62mm.


ARMAMENTOS

19188O Guarani com UT-30BR tem três tipos de armamentos:

- Canhão Automático 30mm ATK BushMaster MK44

O canhão possui funcionamento elétrico, tipo Chain Gun, onde o conjunto ferrolho do canhão se movimenta através do movimento cíclico de uma corrente, não sendo necessária a utilização dos gases oriundos dos disparos. Este modo de funcionamento proporciona um índice muito baixo de incidentes de tiro e fácil manutenção. A torre possui dois cofres de munição 30mm, um com capacidade para 50 cartuchos e outro para 150, então, é possível alimentar o canhão com até dois tipos de munição simultaneamente. Sua cadência inicial de tiro é de 200 tiros por minuto e é controlada por uma central eletrônica dedicada ao canhão. Quanto ao seu alcance efetivo, se utilizada munição perfurante, é de 3000 metros e quando empregada a munição explosiva, o alcance efetivo é de 2000 metros. Uma vantagem é que a munição é toda estocada na parte externa da viatura, aumentando as chances de sobrevivência da tropa, caso seja atingida por disparos de anticarro ou mina terrestre.

- Metralhadora coaxial 7,62mm

A metralhadora automática coaxial 7,62mm proporciona alta expectativa de impacto a 500 metros e possui uma cadência de tiro de aproximadamente 700 tiros por minuto, porém pode ser alterada de acordo com o ajuste do regulador de gases. Diferente do canhão, os gases dos disparos são aproveitados para o funcionamento da metralhadora.

- Lançador de granadas fumígenas 76mm

O terceiro armamento que poderá ser empregado pela guarnição é o lançador de fumígenas, que pode lançar 08 granadas a aproximadamente 30 metros de distância, formando uma cortina de fumaça de cerca de 100 metros de frente, que obscurece as vistas sobre a viatura e a protege contra a telemetria laser dos armamentos inimigos. O operador pode disparar quatro ou oito granadas simultaneamente.

O dispositivo de segurança de detecção de ameaça laser chamado ELAWS (Elbit’s Laser Warning System) é uma importante possibilidade que alerta o comandante e o atirador quando a torre recebe uma ameaça laser inimiga, informando a direção de origem. Em uma situação de combate, quando detectada a ameaça, o operador pode configurar a torre para apontar automaticamente para a direção ou manualmente, bastando pressionar um botão para realizar o apontamento. O Automatic Target Tracking (Acompanhamento Automático de Alvos), também conhecido como “auto tracking”, é um recurso muito útil disponível na UT-30BR e ao optar pela utilização deste, o comandante ou o atirador podem realizar o acompanhamento, sem a necessidade de interferência humana. Ademais, a opção denominada “HunterKiller” (Caçador-Matador) possibilita ao comandante trazer o armamento para a direção em que ele estiver observando, independente da vontade do atirador.

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

Leave A Reply