INTERNACIONAL> Portugal quer Brasil, Índia e países africanos no Conselho de Segurança da ONU

Fonte: Gov. Portugal e DN//

António Costa, primeiro-ministro de Portugal, defende a inclusão do Brasil e da Índia no conjunto de membros permanentes do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). “O mundo de hoje exige a presença no Conselho de Segurança como membros permanentes de países como a Índia, o Brasil e um grande país africano”, afirmou o primeiro-ministro em Nova Deli, na Índia, após a cerimônia de assinatura de seis protocolos de cooperação econômica entre os dois países.

.: Leia também: NEGÓCIOS> Abimde promove Diálogo das Indústrias de Defesa Brasil-Portugal

António Costa disse “estar certo de que, sob a liderança de António Guterres, as Nações Unidas darão um contributo decisivo para que a comunidade mundial possa enfrentar com maior sucesso os desafios que tem pela frente, desde as alterações climáticas aos desafios da segurança, nomeadamente a prevenção e o combate ao terrorismo”, mas acrescentou: “Para que a ONU tenha esse papel, tem de ser o espelho do mundo de hoje, que já não é o do pós-guerra em que as Nações Unidas nasceram”.

.: Leia também: CONJUNTURA> Jungmann defende reforma no Conselho de Segurança da ONU

O primeiro-ministro sublinhou o desenvolvimento recente da economia indiana, destacando que “a Índia é hoje a economia mais dinâmica e a que mais cresce, e será seguramente uma das grandes potencias do século XXI”. “É por isso que entendemos que tem de ter um novo papel no mundo global”, acrescentou António Costa.

ACORDOS DE DEFESA COM ÍNDIA
Durante a visita de Costa à Índia, os ministros da Defesa José Alberto Lopes e Manohar Parrikar assinaram um acordo que prevê o desenvolvimento da cooperação entre os dois países em vários níveis no âmbito da Defesa. Os ministros assinaram um Memorando de entendimento sobre cooperação em matéria de Defesa, que enuncia a intenção de realização de reuniões de alto nível, exercícios navais de oportunidade, estabelecimento de intercâmbios de formação e investigação e a realização de conversações sobre matérias de interesse comum no âmbito da segurança internacional e das indústrias de Defesa. Durante a reunião bilateral os Ministros da Defesa discutiram o desenvolvimento desta cooperação bilateral e trocaram impressões sobre as diversas oportunidades de cooperação mútua a serem exploradas.

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

Leave A Reply