INTERNACIONAL> Saiba quem é o general ‘Cachorro Louco’, novo secretário de Defesa dos EUA

Fonte: Com inf. de Veja//

O novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou na última semana o nome do general James Mattis para assumir a pasta da Secretaria de Defesa. Apelidado de “Cachorro Louco”, “Caos” e “Monge Guerreiro”, o general tem formação de fuzileiro naval e estava na reserva por discordâncias com o governo Obama. Apesar de durão, Mattis é um típico soldado intelectual. Possui uma biblioteca com mais de sete mil livros e entende que os Estados Unidos possuem extrema importância como estabilizador na ordem mundial.

.: Leia também: INTERNACIONAL> Trump confirma general James ‘Cachorro Louco’ Mattis como secretário de Defesa

O general Mattis, que leva sempre na bagagem as Meditações de Marco Aurélio, com os estóicos  pensamentos do imperador romano, já atribuiu a bagunça no Oriente Médio à ausência de visão estratégica dos governos americanos “nos últimos vinte anos” – ou seja, o conjunto da obra de Bush filho e Barack Obama. Também considera o Irã o maior inimigo da estabilidade regional, o que evidentemente não o fez muito popular com o governo atual e o aproximou da turma de Trump.

OS OUTROS GENERAIS DE TRUMP

donald-trump-and-retired-general-james-mattis-e1479762051703Chefiar o Departamento de Defesa, a maior burocracia do universo, costuma ser missão para civis. O general precisará de uma autorização especial do Congresso porque está na reserva há menos de sete anos – uma cláusula destinada a proteger o controle das autoridades políticas sobre o estamento militar e sua eterna voracidade, não por guerras, mas por verbas. Mattis terá que dividir espaço com outro general da reserva, Michael Flynn, o futuro assessor de Segurança Nacional, e talvez até com David Petraeus, sondado como possível secretário de Estado. Flynn é mais linha dura em relação ao islamismo.

.: Leia também: INTERNACIONAL> Trump vai aumentar capacidade militar dos Estados Unidos

Petraeus, a maior estrela dessa geração, que dividiu estratégias inteligentes com Mattis no Iraque e no Afeganistão, tem uma mancha indelével na ficha. Como diretor da CIA nomeado por Obama, envolveu-se com uma oficial de olhos azuis que estava escrevendo sua biografia e acabou por abrir o tamanho do buraco onde se enfiou. Passou a ela uma enorme quantidade de informações sigilosas e teve que renunciar. Foi condenado na justiça, com multa e sentença suspensa.

O papel pedagógico de Mattis sobre Trump pode ser facilitado pelo estilo desbocado do general, venerado pela tropa e ecoado em redes sociais e tatuagens. Sua frase mais conhecida foi inspirada em outro comandante romano histórico, Sula. “Provem que ‘não existe melhor amigo nem pior inimigo’ do que um fuzileiro naval americano”, escreveu ele em sua famosa ordem do dia antes da invasão do Iraque.

Quando a ocupação desandou, ele e Petraeus desenvolveram a estratégia de se aproximar de líderes tribais sunitas, para fazê-los mudar de lado com argumentos, dinheiro e uma linguagem que entendem bem, a do poder. Numa dessas reuniões, Mattis disse: “Não trago artilharia, venho em paz. Imploro aos senhores que não ferrem comigo porque, daí, vou matar todo mundo”. A palavra que usou não foi exatamente ferrem.

Gen. James Mattis Attends Confirmation Hearing To Head US Central Command

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

Leave A Reply