MARINHA: Iperó faz parcerias com a MB enquanto aguarda a instalação do Reator Multipropósito

A cidade de Iperó (SP) vive a expectativa da instalação do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB), reator nuclear de pesquisa que tem como uma de suas finalidades a produção de radioisótopos, que são a base para os radiofármacos utilizados na medicina nuclear e para produção de fontes radioativas usadas em aplicações na indústria, na agricultura e no meio ambiente. O projeto, orçado em US$ 500 milhões (cerca de R$ 1,6 bilhão), prevê o início do funcionamento em cinco anos.

.: Leia também: NUCLEP vai à Argentina em busca de contrato de construção do Reator Multipropósito Brasileiro
Vaso reator do submarino nuclear.

Vaso reator do submarino nuclear.

Enquanto aguarda, a prefeitura do município faz outras parcerias com a Marinha do Brasil (MB). Ainda sem data para sair do papel, o projeto de um hospital em parceria com a Força Naval estaria avançando, segundo o prefeito Vanderlei Polizeli. “Em razão da crise e de toda a burocracia ainda não conseguimos finalizar (o projeto), mas diria que está 90% concluído”, conta.

Por meio do convênio, a Marinha contribuirá com equipamentos e, em troca, aproximadamente quatro dos 28 leitos do hospital ficariam de retaguarda para uso militar. A possibilidade do convênio teria vindo da necessidade da Marinha dispor de um hospital de referência na cidade devido ao Centro Experimental Aramar (CEA).

REATOR MULTIPROPÓSITO
O Reator Multipropósito Brasileiro (RMB) pode dar autonomia ao país na produção de radioisótopos e ampliar a capacidade nacional em pesquisa de técnicas nucleares. A Amazul, estatal ligada a Marinha do Brasil, participa do projeto. Além da produção de radioisótopos, o RMB também tem como funções básicas a realização de testes de irradiação de combustíveis nucleares e materiais estruturais utilizados em reatores de potência, bem como a realização de pesquisas científicas com feixes de nêutrons em várias áreas do conhecimento, atuando de forma complementar ao Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS). O empreendimento RMB está sendo coordenado pela Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento da CNEN e conta com a parceria do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo, CTMSP.

Fonte: ID&S com inf. de Cruzeiro do Sul e Amazul

Newsletter

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

1 Comentário

  1. antonio carlos. on

    Com estado brasileiro falido pela máfia pt, ano de eleição, sem votação de reformas e sem votação contra as renuncias fiscais da Dilma 171 Roussef isso vai piorar. Orçamento da união este todo empenhado.

Leave A Reply