MARINHA> Fragata ‘Independência’ participa de exercício militar no Líbano

Fonte: Marinha//

Como parte das comemorações dos seus dez anos de criação, a serem completados em outubro de 2016, a Força-Tarefa Marítima da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (FTM-UNIFIL) conduziu diversas atividades operativas ao longo do último mês de maio. Os eventos envolveram manobras táticas com todos os sete navios da Força, em 17 de maio, bem como a visita do Comandante da FTM, Contra-Almirante Claudio Henrique Mello de Almeida, à Fragata “Ali Haider”, da Marinha de Bangladesh, no último dia 28.

.: Leia também: EUROSATORY> Atech apresenta sistemas de gerenciamento e vigilância

O Brasil participa da FTM-UNIFIL com o seguinte: 13 militares pertencentes ao Estado-Maior da FTM; 3 militares pertencentes ao Estado-Maior da UNIFIL; 7 militares inseridos na Brigada Espanhola.

A embarcação brasileira que hoje atua como navio-capitânia da FTM/UNIFIL é a Fragata “Independência”, construída no Brasil. O navio iniciou sua missão no Líbano em fevereiro deste ano, em substituição à Corveta “Barroso”. A Força Naval comporta navios da Alemanha, Grécia, Turquia, Bangladesh e Indonésia, sendo alocadas áreas e subáreas no litoral libanês a cada um deles, de acordo com o planejamento efetuado pelo Estado-Maior comandado pelo Contra-Almirante Claudio Henrique Mello de Almeida.

A programação culminou com o embarque e inédito pernoite do Force Commander (FC) da UNIFIL, o General de Divisão Luciano Portolano (Exército da Itália), a bordo do capitânia da FTM, a Fragata “Independência”, entre os dias 30 e 31 de maio, para acompanhar os exercícios de manobras táticas e tiro real sobre alvo de superfície. Nessa ocasião, a FTM realizou desfile naval em homenagem ao FC, que passará o comando da missão no final de julho deste ano.

A FTM, único componente naval atualmente em operação em uma missão de manutenção de paz da Organização das Nações Unidas (ONU), tem as tarefas de impedir a entrada, por via marítima, de armamento não autorizado no território do Líbano e apoiar o adestramento da Marinha daquele país. O Brasil assumiu o comando da Força-Tarefa há cinco anos, em fevereiro de 2011 e, a partir de novembro do mesmo ano, passou a enviar regularmente navios para atuarem como seu capitânia.

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

Leave A Reply