NEGÓCIOS> KC-390 pode gerar retorno em exportação de US$ 1,5 bilhão por ano

Fonte: Indústria de Defesa & Segurança//

O maior avião já produzido no Brasil, o KC-390, é uma aposta importante da indústria aeronáutica nacional e pode estabelecer um novo status ao país no mercado internacional. De acordo com a Embraer, o potencial de exportação está em torno de US$ 1,5 bilhão por ano. O projeto da aeronave, que está em fase de testes, começou a ser desenvolvido em 2009 e contou com mais de R$ 4 bilhões investidos pelo governo brasileiro na fase de desenvolvimento. O case de sucesso foi tratado nesta terça-feira, 29, durante o “I Encontro Internacional sobre Financiamento a Projetos de Defesa”, promovido pelo Comando da Aeronáutica.

.: Leia também: BRASIL> Investimento em Defesa pode ajudar País superar a crise

Reunidos em Brasília, autoridades do setor discutem alternativas para investimento em alta tecnologia da indústria de defesa. “Projetos estratégicos das Forças Armadas, como os das aeronaves KC-390 e Gripen NG da FAB, necessitam de recursos para aplicação tanto no processo de aquisição quanto no desenvolvimento e, quando da sua consecução, poderão trazer benefícios da ordem de bilhões de dólares por ano em exportações, além da geração de milhares de empregos diretos e indiretos e, principalmente, do fortalecimento da indústria nacional”, disse o Vice-Secretário de Economia e Finanças da Aeronáutica (SEFA), Major-Brigadeiro Intendente Heraldo Luiz Rodrigues.

.: Leia também: FAB> Aeronáutica promove seminário exportação e importação dos projetos de defesa

O tempo para concretização de um processo de financiamento de um grande projeto da área de defesa, para exportação ou importação, pode chegar a até dois anos no Brasil. São diversos os órgãos que precisam analisar e autorizar o processo, que prevê 27 passos. Entre os organismos estão o ministério do Planejamento, responsável pelo estudo de como autorizar esse processo; o ministério da Fazenda sobre disponibilidade de recursos; e também o Congresso Nacional que autoriza os processos, por exemplo. “Todo financiamento segue um ritual. Ele vai para o Planejamento, depois o Tesouro, até obter autorização do Congresso”, exemplifica o Major-Brigadeiro sobre o envolvimento e as responsabilidades de todos os interlocutores. “É importante que todos vejam que estamos tratando de maneira transparente e qual a importância que damos para este assunto”, avalia.

FINANCIAMENTO PARA COMPRADORES DE PRODUTOS BRASILEIROS

Uma das propostas discutidas no encontro é a criação de mecanismos de financiamento para países interessados em produtos de defesa brasileiros. “É importante que a gente tenha condições também de oferecer um financiamento para quem quiser adquirir esse produto. É o que a gente encontra aí fora. Quando você vai comprar um produto no exterior, geralmente há uma agência de risco de crédito e uma agência financiadora envolvidas. Então você consegue obter o crédito para comprar aquele produto mais caro e fazer um pagamento diluído, de maneira que o País possa absorver. Eu acho que aqui nós precisamos pensar nisso também para fortalecer a nossa Base Industrial de Defesa”, explicou.

infografico-kc-390-nova-versao-1

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

Leave A Reply