Nova estação da Marinha na Antártica ficará pronta em março de 2018

Fonte: ID&S//

A nova Estação Antártica Comandante Ferraz ficará pronta em março do próximo ano, segundo informações da Marinha do Brasil. O projeto, construído pela empresa chinesa Ceiec (Corporação Chinesa de Importações e Exportações Eletrônicas), custará aos cofres brasileiros US$ 99,6 milhões. A construção da nova estação só começou em janeiro deste ano, quase cinco anos após o incêndio que destruiu a edificação principal da estação e matou dois militares.

120225_incendioembasenaantartida_f_001

.: Leia também: Nova estação brasileira de pesquisa começa a ser reconstruída na Antártica

De acordo com a Marinha, na primeira fase da construção, serão instalados todos os blocos de sustentação dos módulos que irão abrigar os laboratórios, refeitórios, oficina e dormitórios. Com uma área de aproximadamente 4,5 mil metros quadrados, a estação contará com 17 laboratórios, ultracongeladores para armazenamento de amostras e materiais usados nas atividades científicas, setor de saúde, biblioteca e sala de estar.

.: Leia também: Navios da Marinha do Brasil iniciam viagem à Antártica

Quando a Estação Antártica estiver pronta, deverão ser retomados os trabalhos ligados ao monitoramento de fenômenos da alta atmosfera, como sua temperatura e ondas gravitacionais, ao monitoramento da dinâmica do buraco de ozônio atmosférico e dos raios ultravioleta; de parâmetros atmosféricos de superfície; inventários de fauna e flora locais (ambos terrestres e marinhos); qualidade do ar, impactos ambientais locais (contaminação de solos) e outros.

PROGRAMA ANTÁRTICO BRASILEIRO
O Programa Antártico Brasileiro, sob a coordenação da Marinha do Brasil, foi criado em 1982 por um grupo de pesquisadores com o objetivo de desenvolver um programa científico que incluísse o Brasil entre os países do Tratado da Antártica. Em 1991, a assinatura do Protocolo de Madri classificou a Antártica como reserva natural dedicada à paz e à ciência. As missões de apoio à Estação Antártica Brasileira são organizadas pela Marinha que, além da parte logística e operacional, prepara o cronograma de revezamento dos pesquisadores ao longo da operação. O programa brasileiro realiza atividades científicas na Antártica durante todo o ano, mas, a movimentação de pesquisadores, pessoal de apoio, equipamentos e materiais só ocorre durante o verão antártico (de outubro a março).

ESTACAO

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

Leave A Reply