O Grande ABC recebe o Exército e suas demandas de produtos

Jefferson José da Conceição (*)
Em 24 de julho, na Universidade Metodista, o Grande ABC receberá o Comando Logístico do Exército. O General Marco A. Farias e outros Generais, a convite do Prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, da Agência de Desenvolvimento Econômico e do Consórcio Intermunicipal, irão expor os projetos dessa Força para os próximos anos e as demandas de produtos e serviços deles resultantes. Haverá Rodada de Relacionamento entre oficiais militares e empresários, com agendamento prévio. Este evento dá continuidade à nossa política para ampliar a participação do setor produtivo do Grande ABC na rede de suprimento das Forças Armadas, e reproduz o modelo adotado no seminário realizado pelo Comando da Marinha em 6 de dezembro de 2012. Na ocasião, mais de 450 empresários compareceram ao evento.

O Grande ABC tem grande potencial para se integrar ao esforço nacional pelo reaparelhamento das Forças Armadas. Nossa vocação metalmecânica, expertise empresarial, força de trabalho qualificada e universidades de excelência são um acervo precioso. Esse acervo nos permite diversificar nosso parque produtivo, sem abrir mão das especialidades já consolidadas, centradas nas áreas automotiva, química e petroquímica. Dessa forma, fortalecemos nossa estrutura econômica regional e nos habilitamos a tirar proveito dos novos eixos do crescimento econômico brasileiro, como é o caso da Indústria de Defesa. O Brasil precisa reduzir seu déficit comercial em equipamentos militares como aeronaves, veículos blindados. Artilharia, motores, sensores e navios.

A construção de uma Base Nacional de Defesa (BND) é um dos eixos estruturantes da Estratégia Nacional de Defesa. A intenção é fortalecer nossa produção interna de bens e serviços para as Forças Armadas. Por isto, o Governo Federal estruturou linhas de financiamento e programas de desoneração fiscal como o Regime Especial Tributário da Indústria de Defesa (RETID). Além da forte demanda do Estado brasileiro, as vantagens desse setor incluem a criação de empregos altamente qualificados e a característica dual de muitos produtos de defesa, o que permite fornecer também para as possíveis aplicações civis desses produtos (como foram os casos dos computadores e do GPS).

O Grande ABC tem hoje um Arranjo Produtivo Local (APL) de Defesa, com a participação de empresas, sindicatos, universidades, instituições financeiras, Sebrae, Senai e outras entidades. Este arranjo, que é coordenado por nós, representa esforço regional para articular os segmentos interessados no adensamento da cadeia produtiva de Defesa na região. Estão em curso diversas iniciativas, como o detalhamento dos componentes de uma embarcação pela Marinha para identificação de potenciais fornecedores locais e o apoio à Catalogação e Homologação de empresas e produtos da região para fornecer às Forças Armadas.

(*) Jefferson José da Conceição é Secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo de São Bernardo do Campo; Coordenador do GT de Desenvolvimento Econômico do Consórcio Intermunicipal e do APL de Defesa do Grande ABC.