FAB: Conheça a primeira mulher a fazer voo solo em caça no Brasil

Piloto da primeira turma de mulheres no curso de formação de oficiais aviadores da Academia da Força Aérea (AFA) em 2003, Carla Borges é também pioneira como comandante da aeronave presidencial brasileira. A Capitão Aviadora da Força Aérea Brasileira (FAB) Carla Borges realizou primeira viagem com o presidente Michel Temer há pouco mais de um ano, na tarde da quinta-feira, 22 de dezembro de 2016. “A aviação de caça tem um voo com objetivos diferentes. Na aviação do transporte de autoridades, preza-se mais pela tranquilidade do voo. É muito mais cuidadoso para evitar qualquer tipo de distúrbio, turbulências, para realmente dar conforto para a autoridade, que muitas vezes está trabalhando a bordo”, explica a capitão.

Carla foi a primeira mulher a integrar o Esquadrão Escorpião, localizado em Boa Vista (RR), que emprega o A-29 Super Tucano na defesa das fronteiras. O pioneirismo se repetiu quando ela se tornou a primeira mulher a chegar à primeira linha da aviação de caça. Carla foi a primeira mulher a pilotar o caça AMX da FAB. “Quando eu me formei na Academia em 2006 eu fui para Natal e fiz o curso de caça. Eu estava na aviação de caça até 2014, quando vim para Brasília. Em 2016 eu fiz o curso do Airbus. Foram praticamente dez anos de estudo desde que me formei, muito preparo”, disse Carla.

Segundo a Força Aérea, em pouco mais de dez anos de carreira, a militar acumulou mais de 1,5 mil horas de voo no comando de nove modelos diferentes de aeronaves. No voo em uma aeronave de caça, a piloto decolava sozinha com o avião armado para as missões de ataque e interceptação. “Desde criança eu sempre fui apaixonada por aviões, ficava encantada toda vez que passava um avião. Ficava olhando para o céu procurando. A minha turma foi a pioneira, a primeira turma de mulheres aviadoras que ingressou na Academia. Então, há anos a gente vem abrindo portas para dar outras oportunidades a mulheres que não conheciam esse tipo de profissão, não sabiam nem que poderiam ser piloto da Força Aérea”, disse.

MULHERES NA FAB

i16122217142452108Em 1982, quando a FAB recebeu a primeira turma feminina, as mulheres eram exceção. Passados 34 anos, a presença feminina é uma realidade em praticamente todos os setores: das cabines de aeronaves de combate até o comando de uma organização militar. De acordo com dados de dezembro deste ano do Comando-Geral do Pessoal (COMGEP), hoje elas são um total de 11 mil mulheres, o que representa 16% de todo o efetivo.

Em relação a sua atividade-fim, as mulheres estão em todas as aviações (caça, transporte, helicóptero, reconhecimento, busca e salvamento, patrulha). Assim como a Capitão Carla, as primeiras aviadoras formadas pela AFA em 2006 estão na primeira linha de suas aviações. Em outubro deste ano, a Capitão Aviadora Joyce de Souza Conceição tornou-se a primeira piloto brasileira a pousar no continente antártico. A Capitão Adriana Gonçalves, também piloto operacional da maior aeronave em operação atualmente na FAB, o Boeing 767, já participou de missões internacionais da FAB, como o transporte de tropas para o Haiti.

i16122294955174006

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

Salvar

Salvar

1 Comentário

Leave A Reply