Raul Jungmann: Um bom começo

Os primeiros dias do Ministério de Raul Jungmann demonstram que o novo titular da pasta da Defesa está consciente da necessidade de dar continuidade aos projetos estratégicos brasileiros na área,  e do desafio de, mesmo com o País enfrentando problemas em suas finanças públicas, manter o aparelhamento do sistema de defesa.

.: Leia também: GOVERNO> Jungmann se reúne com o presidente do SIMDE

Em reuniões com os chefes militares e com as principais lideranças empresariais, como os Presidentes do Simde, da ABIMDE, entre outros, Raul Jungmann expressou seu desejo de dotar o Brasil de uma Indústria de Defesa e Segurança forte o bastante para garantir às nossas Forças independência cada vez maior ao mercado externo no suprimento de suas necessidades.

O Brasil está engajado nos últimos anos na criação das bases para o desenvolvimento de uma Indústria de Defesa forte, conforme previsto no Livro Branco da Defesa (Raul Jungmann participou de sua criação).  A partir das diretrizes lançadas nessa publicação, foram criadas as Empresas Estratégicas de Defesa, e  disponibilizados mecanismos de incentivo como o  regime especial para a indústria, que suspende a cobrança de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), de PIS-Pasep e de Cofins sobre peças, equipamentos, sistemas, matérias-primas e serviços usados em materiais de defesa, munições, armas, embarcações, aviões, satélites, foguetes, veículos, entre outros.

Todo esse esforço deve ser mantido para que se crie uma estabilidade no setor permitindo às empresas se aparelharem e planejarem seus recursos para atender as demandas de nossas Forças Armadas e de Segurança.

O setor vê com ânimo o início do Ministério Jugmann que, a partir de seus primeiros passos, deixa claro a sua intenção de trabalhar para o incremento da produção no setor de Defesa  e  Segurança.

Leave A Reply