RIO2016> Exército usa drones para monitorar Transolímpica

Fonte: Santos Lab//

Após um ônibus com jornalistas ser atacado no caminho entre Deodoro e o Parque Olímpico, o Exército passou a usar drones para fazer o monitoramento aéreo da Transolímpica, que liga as instalações. Os drones podem identificar objetos como armas de fogo e facas de uma distância de até 3 mil metros do solo.

.: Leia também: RIO2016> Mesmo após ataque a agentes, Forças Armadas ficarão fora de favelas

“Disponibilizamos quatro drones para o Exército e acompanhamos os militares nas missões. As aeronaves tem autonomia de até duas horas de voo e podem até seguir veículos”, disse Adriano Kancelkis, da Santos Lab, empresa responsável pelo equipamento.

O equipamento também está sendo usado pelo Exército para monitorar a atividade de traficantes em favelas que margeiam vias expressas da cidade, que estão sendo patrulhadas pelas Forças Armadas durante os Jogos. Uma dessas comunidade é a Maré, onde agentes da Força Nacional foram atacados por traficantes na semana passada. Na ocasião, o soldado Hélio Vieira morreu após ser atingido por um tiro na testa.

.: Leia também: SEGURANÇA> Solução para violência no Rio está no poder repressor de polícia, diz delegado

MODELOS
Durante a competição, quatro modelos da Santos Lab realizam levantamento aéreo apoiados por dois operadores da empresa.

CARCARÁ
carcara2-849x445A empresa colocou à disposição do Exército Brasileiro dois modelos da família Carcará, conhecidos pela robustez e versatilidade, resistente à água, desenvolvido em conjunto com o Instituto de Pesquisas da Marinha do Brasil (IPqM). Eles contam com sistema DeepStall, que permite o recolhimento da aeronave em espaços muito reduzidos, eliminando a necessidade de grandes áreas para pouso.

LIBÉLULA
Libelula
Outro modelo é o Libélula. Recém-lançado pela Santos Lab, a ferramenta foi projetada inicialmente para ações táticas e operações de reconhecimento e vigilância, com capacidade de transportar diversos tipos de cargas pagas. O drone possui capacidade de voo de até 30 minutos e é ideal para operações em ambientes urbanos, rurais ou de difícil acesso. Embora sua operação possa ser totalmente automatizada, da decolagem ao pouso, o operador pode intervir no voo e na missão a qualquer momento, de forma intuitiva e fácil: “O sistema pode ainda transportar diversos tipos de sensores ópticos e estabilizados, com um alcance de 20 quilômetros, atendendo as mais diversas necessidades do campo.”

ORBIS
orbisO Orbis é outro drone da companhia que participa das ações de segurança dos jogos. Projetado para operações táticas rápidas em locais onde não é recomendável a utilização de aeronaves de asa fixa, esse Vant tem autonomia de até 40 minutos e é ideal para operações policiais urbanas, levantamento rural ou para áreas de difícil acesso. Sua operação pode ser totalmente automatizada desde a decolagem até o pouso. O sistema pode ainda transportar diversos sensores ópticos e estabilizados, com alcance de 20 quilômetros.

 

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

Leave A Reply