RIO2016> Mesmo após ataque a agentes, Forças Armadas ficarão fora de favelas

Fonte: Estadão//

Mesmo após o ataque aos militares da Força Nacional, as Forças Armadas vão continuar atuando fora das favelas cariocas, informou o Comando Militar do Leste. O soldado Hélio Vieira, 35, agente da Força Nacional baleado na cabeça quarta-feira 10, após entrar por engano na comunidade Vila do João, no complexo da Maré, morreu na última quinta, 11. O anúncio foi feito no fim da noite pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, em sua conta em rede social.

.: Leia também: RIO2016> Após episódios de violência, número de militares na rua vai aumentar

Segurança na Transolímpica é reforçada após acidente

Ônibus da imprensa vai contar com escolta.

O ataque provocou a revisão do plano de segurança da Rio2016. O episódio foi citado pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, no anúncio da modificação do planejamento para a área do Complexo Esportivo de Deodoro, na zona oeste do Rio. A decisão veio após dois projéteis de fuzis serem encontrados no Centro Olímpico de Hipismo, no sábado (6) e na quarta (10), e um ônibus de jornalistas ser atacado quando trafegava pela Transolímpica, que liga Deodoro ao parque da Barra da Tijuca.Uma das novidades é que os veículos oficiais da Rio-2016 passarão a ter escolta da Força Nacional. O Exército também mudou a escala dos militares, reduzindo folgas.

Pelo planejamento das Forças Armadas, os militares farão policiamento ostensivo nas vias expressas (como a Linha Amarela, a Linha Vermelha e a Avenida Brasil, usadas por torcedores), aeroportos, estações ferroviárias e em vias de acesso para instalações olímpicas dos bairros de Deodoro, Barra da Tijuca (zona oeste) Copacabana (zona sul) e Maracanã (zona norte).

“Michel Temer decretará luto oficial pela morte de nosso herói. Honra e dignidade aos nossos policiais”, publicou o ministro.

 

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

Leave A Reply