RIO2016> Segurança dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos custaram R$ 705 milhões ao Ministério da Defesa

Fonte: Indústria de Defesa & Segurança//

As ações de segurança e defesa dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos custaram R$ 705 milhões ao Ministério da Defesa, afirmou nesta segunda-feira, 19, o ministro Raul Jungmann. De acordo com ele, valor foi empregado na logística da segurança dos jogos durante três anos. O ministro, que considerou como um sucesso a atuação das Forças Armadas nos Jogos, disse que os militares começam agora uma missão de reversão, onde o contingente sairá do Rio de Janeiro. Segundo Jungmann, o Rio permanecerá com cerca de 30 mil militares que são baseados no estado, mas ainda não se tem uma previsão para o retorno da atuação deles no âmbito da Lei de Garantia da Ordem no estado. O governador Francisco Dornelles já solicitou ao presidente da República, Michel Temer, o apoio das Forças Armadas para o combate à violência no Rio de Janeiro.

.: Leia também: RIO2016> Aeronáutica reforça defesa cibernética

“Hoje termina a atuação das Forças Armadas para a segurança, mas os militares permanecem atuando na defesa até o dia 25”, explicou o ministro. Ainda segundo ele, as Forças Armadas vão atuar na segurança das eleições e apurações em sete estados e 107 municípios nos dias 2 e 30 de outubro. O detalhamento das missões será divulgado até o final de semana.

“O Exército não vai substituir as forças de segurança. O efetivo do Exército não é preparado para isso. O problema da segurança não são as Forças Armadas que vão resolver. Vamos resolver o problema da segurança com as forças de segurança”, disse o ministro, afirmando que as Forças Armadas podem apoiar com treinamento, inteligência e equipamentos.

BALANÇO DOS JOGOS

Durante as Olimpíadas e Paralimpíadas foram empregados 43.481 homens no Rio e em cinco capitais que receberam jogos. De acordo com as Forças Armadas, foram 89 ocorrências de ameaças terroristas, sendo 49 só no Rio de Janeiro. Segundo o ministro, não houve nenhuma ameaça química nem de explosivos.

Os militares também atuaram na segurança de 139 estruturas críticas e estratégicas, como estações de abastecimento de água e energia. Além disso, o efetivo foi empregado na defesa cibernética de 805 sites. Segundo o relatório das Forças foram registrados 1.145 incidentes de segurança, mas a rede operacional de defesa permaneceu intacta.

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

 

Leave A Reply