SAAB tem crescimento de mais 60% em novos pedidos em 2017

A sueca Saab anunciou um aumento de 62% em novos pedidos de janeiro a setembro deste ano em comparação com o mesmo período de 2016. De acordo com a empresa, os novos contratos foram em diversas áreas, incluindo dois pedidos de vigilância aérea e um da próxima geração do Sistema de Arma Leve Anticarro (ALAC) pelo Exército Suíço. Ainda de acordo com a Saab, a Suécia encomendou o desenvolvimento e a produção da próxima geração de mísseis antinavio, a modificação e atualização das corvetas classe Gävle, um novo navio de coleta de informações de inteligência (SIGINT), além da continuidade do suporte e manutenção do Gripen C/D.

.: Leia também: GRIPEN: Pressionada, SAAB anuncia diretor geral para fábrica em São Bernardo do Campo

“No período, recebemos diversos pedidos pequenos e médios, entre eles a extensão por três anos do contrato com o Ministério da Defesa do Reino Unido para o fornecimento de Simuladores de Engajamento Tático (TES). Em parceria com a Lockheed Martin, recebemos ainda o pedido de um sistema de treinamento para o exército norte-americano”, divulgou em nota a empresa. Para este ano, a sueca espera conquistar um crescimento orgânico anual da receita de 5%.

Segundo a Saab, o terceiro trimestre foi marcado por uma parceria com o grupo indiano Adani em um plano de colaboração em tecnologia aeroespacial e defesa. “A colaboração está alinhada à iniciativa “Make in India” do governo do país e poderá incluir o projeto, desenvolvimento e produção de caças Gripen, e outros produtos de alta tecnologia. Anunciamos ainda o plano de estabelecer capacidades de fabricação da aeronave de treinamento T-X nos EUA, caso a Boeing e a Saab venham a vencer a concorrência para esta aeronave naquele país”.

No início de outubro, a Saab foi contatada pelo governo australiano para fornecer a interface tática da frota de nove fragatas Future da Marinha Real Australiana. A Saab foi ainda escolhida como fornecedora do Sistema de Gestão de Combate 9LV do futuro programa, que inclui embarcações de patrulha marítima.

A melhora da margem operacional deve-se principalmente à maior receita contribuída pela área de negócios Dynamics e ao maior nível de atividade relacionado aos sistemas de vigilância aérea e operações de apoio.

Fonte: Indústria de Defesa & Segurança

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

Leave A Reply