SUBMARINO NUCLEAR americano chega à Coreia do Sul

Fonte: Defense News//

Pode não ser “muito mais poderoso do que o porta-aviões” – como disse o Presidente Trump em uma entrevista recente, mas um submarino norte-americano bem armado chegou à Coreia.  O submarino de mísseis guiados da classe Ohio Michigan se deslocou para o porto sul-coreano de Busan nesta terça-feira (25) para o que a Marinha dos EUA chamou de uma “visita de rotina”. “Durante a visita, os marinheiros conhecerão a cultura e a história da República da Coreia, bem como promoverão relações extraordinárias entre a Marinha dos Estados Unidos, as Forças Armadas da Coreia do Norte e a comunidade local de Busan”, disse a Marinha dos EUA em comunicado à imprensa.

.: Leia também: PORTA-AVIÕES DOS EUA segue para águas coreanas; China pede cautela

korea01Mas a chegada do Michigan é uma adição significativa às forças navais dos EUA que se reúnem no Mar do Japão e em outros lugares fora da Península Coreana em resposta a crescentes tensões na área devido a uma série de testes de mísseis balísticos realizados pela Coreia do Norte. O porta-aviões Carl Vinson e seu grupo de ataque, agora acompanhado por dois destroyers japoneses, também deve chegar à área em um dia.

A imprensa especializada americana acredita que o submarino pode ter sido o que Trump estava se referindo em 11 de abril, quando, em uma entrevista com a Fox Business Network, ele descreveu as forças dos EUA indo para a região. “Estamos enviando uma armada, muito poderosa”, disse Trump. “Temos submarinos, muito poderosos, muito mais poderosos do que o porta-aviões”.

170424171413-02-navys-uss-michigan-exlarge-169

O Michigan é um dos quatro submarinos de mísseis e operações especiais convertidos de submarinos de mísseis balísticos de classe Ohio, designados SSGN. Enquanto eles não carregam mais mísseis balísticos, as SSGNs carregam até 154 mísseis de cruzeiro Tomahawk e outras armas e equipamentos nos antigos tubos de mísseis balísticos.

Talvez ainda mais significativo, as SSGNs podem embarcar até 66 militares de operações especiais, que podem usar os dois primeiros mísseis antigos como câmaras de bloqueio para realizar missões de vigilância e de inserção e recuperação clandestinas. Os submarinos são os maiores já construídos nos EUA – 560 pés de comprimento e deslocando 18.750 toneladas submersas -, são capazes de navegação precisa em águas próximas, um legado dos sistemas de navegação altamente capaz necessários para a missão de mísseis balísticos original.

O Michigan é atualmente comandado pelo capitão Joe Turk. “Esta tripulação mostrou incrível profissionalismo e dedicação durante todo este desdobramento”, disse Turk no comunicado de imprensa da Marinha “Cada marinheiro entende a importância de nossa missão e cada um deles é dedicado a garantir que a missão seja um sucesso”. “Estamos ansiosos para uma oportunidade de nos encontrar com nossos parceiros da Marinha da Coreia e aprender sobre a cultura dele”, acrescentou Turk.

O contra-almirante Brad Cooper, comandante das forças navais dos EUA na Coreia, chamou a visita de “mais um exemplo da firme cooperação entre os dois países”. Ele observou no comunicado de imprensa que as duas marinhas “trabalham em estreita colaboração uns com os outros todos os dias do ano e esta merecida visita ao porto é uma oportunidade para os marinheiros de Michigan para desfrutar da maravilhosa cultura Busan”. 

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

Leave A Reply