TECNOLOGIA> Bloqueador de drones ‘raio da morte’ será instalado em aeroporto nos EUA

Fonte: DroneShow//

Lançamento recente da Liteye Systems, o sistema de bloqueador de drones capaz de incapacitar os equipamentos a uma distância de 10km, será implantado em alguns aeroportos americanos em fase de testes, divulgou a FAA (Federal Aviation Administration), agência responsável pela regulação da aviação civil nos Estados Unidos.

.: Leia também: CONJUNTURA> Setor de defesa não movimenta nem 10% do mercado nacional de drones

O sistema tem sido visto como uma possível solução para uma reclamação crescente de pilotos e controladores de voo: a invasão do espaço aéreo por drones amadores. A agência afirma que todo mês recebe mais de 100 relatos sobre drones que se aproximam demais de aeroportos ou de aeronaves tripuladas, colocando em risco a segurança de pilotos e passageiros.

O SISTEMA

pablo-3-400x200O AUDS (Anti-UAV Defence System), conhecido como “raio da morte”, usa uma combinação de radares, câmeras de alta definição e bloqueadores direcionados de ondas de rádio para detectar, monitorar e incapacitar os drones. O processo inteiro, da detecção à aterrissagem forçada, demora entre 8 e 15 segundos, de acordo com os testes realizados pelos desenvolvedores do sistema em conjunto com órgãos governamentais.

Desenvolvido por meio de uma parceria entre as empresas britânicas Blighter Surveillance Systems, Chess Dynamics e Enterprise Control Systems, representadas nos Estados Unidos pela Liteye Systems, o AUDS se diferencia de outros sistemas antidrone por sua precisão. Os radares de segurança aérea da série A400 da Blighter Surveillance Systems prometem detectar pequenos UAVs em todas as condições meteorológicas, 24 horas por dia, voando em áreas urbanas ou perto do horizonte. Embora não seja uma ideia nova usar bloqueadores de ondas de rádio para incapacitar drones, a maioria das soluções do tipo cria uma espécie de “campo de força” que impede o uso de qualquer tipo de drone num determinado local.

Dependendo da tecnologia utilizada, há risco de interferência no funcionamento de celulares e outros dispositivos de telecomunicação. O AUDS, por sua vez, possibilita que o operador diferencie drones “amigos” e “inimigos”, permitindo que os drones autorizados voem em paz e incapacitando apenas os invasores. As informações de trajetória coletadas pelo radar e pelas câmeras também podem ser usadas para localizar o operador da aeronave infratora, segundo os desenvolvedores.

“O AUDS é capaz de operar com eficiência em ambientes complexos como aeroportos, sem interferir no funcionamento de outros equipamentos”, afirmou Mark Redford, CEO da Blighter Surveillance Systems, ao Gizmodo Brasil por e-mail. “O operador pode efetivamente assumir o controle de um drone e forçá-lo a aterrissar com segurança dentro ou fora do perímetro do aeroporto.”

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

 

 

Leave A Reply