Thales divulga avanços no programa de transferência de tecnologia espacial entre Brasil e França

Fonte: ID&S Com inf. de Thales Space//

Dentro do programa de desenvolvimento do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC), a Agência Espacial Brasileira (AEB) e a francesa Thales Alenia Space assinaram um Memorando de Entendimento sobre um ambicioso programa de transferência de tecnologia, destinado a apoiar o desenvolvimento do próprio Programa Espacial Brasileiro. De acordo com a empresa francesa, a parceria entre Thales Alenia Space e a AEB conquistou os seguintes avanços para o Brasil:

  • A Thales Alenia Space estabeleceu uma unidade no parque tecnológico de São José dos Campos (SP), no Brasil, para trabalhar mais estreitamente com seus clientes e parceiros locais;
  • A empresa também cumpre o seu compromisso de transferência de competências, já que mais de 30 engenheiros brasileiros foram treinados em todas as técnicas de engenharia espacial, supervisionados pela equipe do programa Thales Alenia Space;
  • Um painel de suporte de bateria de alumínio fabricado pela empresa brasileira CENIC já está integrado no satélite SGDC;
  • Os contratos de transferência de tecnologia com indústrias brasileiras estão em andamento para permitir seu envolvimento nos futuros projetos espaciais.
.: Leia também: FAB cede à Telebras território para instalações de apoio ao satélite geoestacionário

20161201_satelite01

SATÉLITE ESTÁ PRONTO PARA LANÇAMENTO
De acordo com a Thales Space, o satélite geoestacionário já está pronto para ser lançado na plataforma de Kourou na Guiana Francesa. A data para o lançamento está marcada para o próximo dia 5 de março. A Thales Alenia Space assinou o contrato SGDC com a Visiona (joint venture entre a Embraer e a Telebrás) no final de 2013. O programa desempenha um papel fundamental no plano de desenvolvimento da AEB (Agência Espacial Brasileira), ao mesmo tempo que aborda a estratégia do Ministério da Defesa.

.: Leia também: Conheça o satélite geoestacionário brasileiro

O satélite geoestacionário destina-se a atender a dois objetivos principais: a implantação de um sistema seguro de comunicação para as Forças Armadas e o governo, e apoio à implantação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), coordenado pela Telebrás como operador, com o objetivo de reduzir a brecha digital no país. O programa SGDC é parte integrante da estratégia brasileira de reforçar sua independência e soberania.

 

VEJA TAMBÉM EM

53245_6

Leave A Reply